ANEL INTRACORNEANO

ANEL INTRACORNEANO
Os implantes de segmentos circulares, chamados de anéis intracorneanos ou intraestromais, são uma alternativa para o tratamento do ceratocone, quando o paciente não alcança boa acuidade visual com as lentes ou torna-se intolerante às mesmas.
O segmento de anel é uma órtese confeccionada em acrílico (material inerte, que não causa rejeição), que tem como objetivo regularizar a superfície corneana de tal forma que a visão possa ser restabelecida, podendo ser necessária a complementação com uso de óculos ou lentes de contato.
Antes do advento do femtosegundo, a realização do túnel intraestromal era feita manualmente com material especial, porém não se tinha uma precisão da profundidade na qual o túnel era realizado. Hoje com a nova tecnologia do Laser de Femtosegundo, conseguimos confeccionar o túnel na profundidade desejada, diminuindo o risco de extrusão do implante e melhorando os resultados visuais. A quantidade de segmentos de anéis e a localização do implante dos mesmos vão depender do tipo e da severidade do ceratocone. Existem normogramas pré-estabelecidos que auxiliam nesta decisão.
Após a cirurgia é colocada uma lente de contato como curativo e são prescritos colírios antibióticos e anti-inflamatórios. A recuperação visual após o implante do anel intracorneano é gradual, ocorrendo de maneira mais significativa nas primeiras semanas e levando em torno de seis meses até a estabilização.
Cuidados com o uso da medicação prescrita e evitar coçar os olhos são muito importantes no pós-operatório. Na ocorrência de alguma complicação, os anéis podem ser removidos, sendo um procedimento reversível. É importante frisar que o anel pode adiar ou até mesmo evitar o transplante de córnea.
Outras possíveis indicações para o implante de anel são os astigmatismos irregulares, degenerações corneanas e astigmatismos pós-transplante de córnea.
O objetivo do implante é melhorar a visão. Mas é importante saber que essa cirurgia não tem como foco a correção refrativa, ou seja, pode não livrar o paciente do uso de óculos ou lentes de contato. O implante do anel corneano torna a córnea mais regular permitindo ao paciente retomar suas atividades usuais com melhor qualidade de visão.

 
Como ele funciona?
O Anel é implantado na córnea provocando um estiramento de suas lamelas. Assim, a córnea tem sua curvatura reduzida, ficando mais regular. Esse efeito é responsável pela melhoria na acuidade visual, especialmente por reduzir o astigmatismo irregular.

Como é a cirurgia?
A cirurgia dura poucos minutos e é feita com anestesia tópica (apenas colírio). O procedimento consiste na confecção de um túnel com laser de femtosegundo na córnea, por onde são introduzidos os anéis. Não é necessária a interrupção das atividades cotidianas, que em poucos dias já podem ser realizadas.


Transplante  de Córnea:
O transplante de córnea consiste em substituir a córnea doente por outra sadia cedida por doação de órgãos. A córnea é a parte mais superficial do olho. Somente a córnea é transplantada, o resto do olho continua o mesmo. A córnea é avascular, ou seja, não é irrigada por vasos sanguíneos, sendo assim, apresenta risco menor de rejeição em relação a outros órgãos. O transplante de córnea é o transplante mais realizado no mundo, apresentando uma alta taxa de sucesso.